Primeiro dia como estagiária

11:57

Primeiras vezes é sempre uma tortura, é aquela sensação de medo do desconhecido, angustia para tentar imaginar como vai ser dali para frente, é uma incógnita.
we heart it

Eu nunca tinha trabalhado fora de casa, meus pais têm um comércio, por isso sempre fui acostumada a ser a chefe e não funcionária. Mas tudo isso mudou quando decidi ao invés de tocar um mercado, virar jornalista.

Conseguir um emprego na área é a coisa mais difícil que existe, eles querem experiências e tudo o que eu tinha era da faculdade, ou seja, zero experiência. Lembro-me de passar noites rezando implorando por um emprego, posso confessar que eu pedia sem modéstia mesmo, pedia que fosse um bom emprego e que as pessoas falariam ual toda vez que eu contasse onde eu trabalho.

Foram três longos anos em busca e rezando para que isso acontecesse, sinceramente, achei que o cara lá de cima havia me ignorado e falado que eu não merecia isso. Quando do nada a oportunidade bateu em minha porta e eu além de abrir me atirei nela.

O que eu havia pedido se realizou, achei que tinha pedido demais, mas ele se realizou. Então, quando eu estava sentada no banquinho para pegar o contrato, a minha mão suava frio e eu não acreditava que aquilo ali estava acontecendo. Era surreal.

Primeiro dia não foi diferente, posso afirmar que eu nem dormir à noite. No meu contrato estava escrito o dia que eu tinha que começar, mas eu só poderia entrar quando a faculdade assinasse o contrato. Peguei o meu contrato dois dias depois da data prevista nele e fui correndo entregar aqui no RH da empresa e eles falaram “ pode começar amanhã já!”. E eu falei para moça “o que? Não pode ser hoje mesmo? ”. Ela deu risada e confirmou, foi exatamente isso que eu fiz.

Eu nunca tinha entrado em uma redação na minha vida, principalmente de assessoria de imprensa, me lembro de ter ficado parada na porta até que me chamaram para entrar, estava morrendo de vergonha. É uma sala enorme, cheio de jornalistas falando no telefone e digitando incansavelmente no teclado do computador. Foi assustador.

Sentei na cadeira que me destinaram, travada, parecia um robô humano. Perguntava timidamente para a jornalista ao meu lado se estava fazendo certo ou me equivocando. Prestava a atenção no que os outros estagiários faziam, como se portavam e tudo de bom que eu pudesse absorver.

E hoje quando você olha para trás vê o quão especial foi aquele primeiro dia, o dia que você viu que era aquilo que desejava para sempre. E se não foi aquilo também, de qualquer forma, o seu primeiro dia de trabalho, você jamais vai esquecer. 

Você pode amar também

Comente com o Facebook:

0 comentários